segunda-feira, 4 de junho de 2012

O Morangueiro

O vinho resultante da fermentação da uva americana é chamado de "vinho americano" nalgumas regiões do País, noutras de "morangueiro" e, ainda noutras (Açores) de "vinho de cheiro".
A vinha americana foi introduzida no País para fazer face ao surto de filoxera que estava a destruir as vinhas tradicionais. A sua comercialização está proibida há vários anos,  mais pela concorrência feroz que fazia aos vinhos tradicionais, do que pelos malefícios para a saúde propalados por algumas pessoas
Aliás, a União Europeia anunciou recentemente que pretende revogar a norma de 1995 que proíbe a sua comercialização no espaço comunitário.
Os malefícios para a saúde estão relacionados com a presença de metanol no vinho. O metanol é um composto altamente tóxico que ingerido, mesmo em pequenas quantidades, afecta severamente os olhos. Contudo, parece que a presença do metanol no vinho tem a ver mais com a má vinificação do que das características intrínsecas das uvas americanas. (Fonte - Wikipédia)
Neste contexto e prevendo eu, para o corrente ano, uma colheita assaz interessante de uva americana e pretendendo iniciar-me na arte de bem pisar uvas, com a proficiência que me é característica, vinha deixar um apelo aos entendidos no assunto, para que publiquem aqui algumas dicas para uma vinificação cuidadosa de modo a permitir-me saborear um morangueiro livre de metanol e produzido por "moi même".
Os meus agradecimentos.



13 comentários:

  1. Depois de "Bo", o cão d'água português que foi para a Casa Branca, a "invasão" lusitana nos EUA continua.
    Assim, enquanto a família Obama degusta o seu guisado de peru ou uma pizzas encomendadas pelo telefone vermelho (que já esteve ligado a Moscovo...), com o canito sentado no presidencial cesto, o Presidente bebe o seu vinho que, pasme-se, é produzido no concelho de Penacova, na nossa terra, portanto!
    O Homem das Tabernas foi a Alagoa falar com o senhor Joaquim Malino, por lá conhecido por "Ti Malino", o orgulhoso produtor da "pomada presidencial".
    Na sua adega, o nosso amigo explicou-nos tudo:
    "-Tenho ali quatro corrimões com umas videiritas morangueiras. Tenho brancas e tintas. Como não gosto daquilo misturado no resto do vinho, faço a mistura das duas à parte. Fica um vinho de cheiro que, tal como lá o presidente americano (Joaqui Malino diz 'amaricano'...), não é branco nem é tinto...
    Um dia um cunhado meu que vive na América levou um garrafão de cinco litros e participou num concurso para o vinho do Obama. Ele gostou e pediu mais. Desde então que enquanto tiver, mando para lá uns garrafões daquilo...
    É um vinho morangueiro que dá um bocado de caganeira, mas lá na Casa Branca não deve haver falta de casas de banho!"
    http://ohomemdastabernas.blogspot.pt/2009/04/barak-obama-bebe-vinho-produzido-em.html

    ResponderEliminar
  2. Enólogo Enólogo Online

    Havendo várias castas americanas com as quais se faz, ainda hoje, vinho designado por morangueiro, entre as mais disseminadas no continente e nas ilhas estão a Isabelle, Jacquez, Clinton e Herbemont. Julgo ainda estar atualizada a informação de que em Portugal a comercialização do vinho morangueiro é proibida, embora tenha sido amplamente tolerada. A União Europeia anunciou recentemente a intenção de rever essa proibição. Esta interdição baseia-se em alguns efeitos preocupantes para a saúde. A presença do pigmento malvina, que lhe dá um tom violáceo, tem efeitos nefastos sobre o sistema nervoso. Também o elevado teor de metanol produzido durante a fermentação pode estar relacionado com graves danos na visão. Falamos, portanto, de produção caseira de vinho, muito frutado porque é consumido imediatamente após a fermentação (apenas com aromas fermentativos que são de frutos vermelhos) e com a cor do sumo de morango: por isso se chama morangueiro. Por tudo que referi, deve ser consumido com bastante moderação.
    http://enologoonline.continente.pt/fale-com-o-enologo

    ResponderEliminar
  3. o vinho americano deste ano é excelente eu tenho vinho americano com 10º graus uma maravilha se alguém quiser provar é só dizer um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olhe meu bom amigo, eu gostava de provar e até de comprar algum se para venda o tiver. Moro na região e concelho da Póvoa de Lanhoso e por aqui não vejo sequer videiras americanas a não ser aquém e além, pelo que não há desse tipo de vinho, que era abundante na região da Serra da Gralheira, São Pedro do Sul, onde nem sequer havia outro tipo de vinho.E que bom era, ainda tenho o sabor na minha cabeça. Obrigado e saúde.

      Eliminar
    2. Boa noite. Tenho umas garrafinhas, traçado, da produção deste ano, posso oferecer-lhe uma, se é apreciador como eu desta pomada. Ligue-me quando quiser (964582700).
      Cumprimentos

      Eliminar
    3. Já tenho feito morangueiro de bica aberta e não tem resultado. Este ano fiz Pondor misturado com algum espadeiro e deixei cozer alguns dias. Está um espectáculo. Cor de petróleo e com um leve sabor ao Pondor. Simplesmente divinal. É pena só serem 200 litros

      Eliminar
    4. Eu também tenho... adoroooo! Rs

      Eliminar
  4. Boa noite.
    Moro em Ourense (Espanha). Gosto muito do vinho de uva americana e também se for mistura. Dónde posso comprar umhas garrafinhas para consumo proprio?
    Poderia desprazar-me até Chaves, Melgaço, Monçao, etc. Muito obrigado.

    ResponderEliminar
  5. sou tambem eu um apreciador de vinho americano . ainda mantenho alguns pés dessa casta. na região de ponte de lima

    ResponderEliminar
  6. Eu até lhe oferecia umas garrafas. Fiz este ano, por brincadeira com um amigo, pondor com um pouco de espadeiro. Deixei cozer alguns dias. Divinal. Pena só serem 200 litros. Estou a pensar seriamente em plantar na minha vinha um barbo de pondor.Sou de V.N. de Famalicão.

    ResponderEliminar
  7. Oh meus amigos, se é para provar, não percamos tempo, carago!
    Bamos lá marcar um encontro e tratamos do assunto num instante.
    Eu levo os copos. Alguém que traga o presunto!

    ResponderEliminar
  8. Ainda tenho um branco com algumas tintas à mistura.

    ResponderEliminar